Vão dividir o Pará

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que prevê um plebiscito sobre a divisão do Estado do Pará em três.

Segundo a notícia, grande parte da população local apoia a ideia.

A densidade populacional do Pará é de 6,08 habitante por kilômetro quadrado. Para compararmos, as três unidades da federação com maio densidade populacional são o Distrito Federal (441,74 hab./km²), Rio de Janeiro (366,01 hab./km²) e São Paulo (166,19 hab./km²).

A densidade populacional do Brasil é de 22,4 hab./km². (dados do censo de 2010)

Percebemos que o Pará  tem uma densidade baixíssima. Muito abaixo da média nacional.

O proposto Estado de Tapajós terá 27 municípios… isso mesmo, apenas 27. E 1milhão e 300 mil habitantes. Só pra comparar, o DF (que é basicamente uma única cidade) tem 1 milhão e 900 mil habitantes. A cidade de São Paulo, 11 milhões 244 mil e 369 habitantes.

O argumento em favor da divisão seria que isso facilitaria o desenvolvimento das regiões mais afastadas da atual capital.

Argumento fraquinho esse, não? Vide o caso de Tocantins, nascido da divisão de Goiás com a mesma desculpa e que não é exemplo de nada… talvez apenas de como uma família pode dominar um Estado inteiro… mas pra isso já tínhamos o Maranhão…

O triste é que essa proposta e seu agumento central partem do pressuposto que Estados podem existir sem povo. E que desenvolvimento é algo magicamente criado pela ação de Dom Sebastião, o “rei dormente” que nos salvará, ou pelo seu representante: o governo de plantão que se imbui dessa messiânica missão de redimir e salvar o Brasil.

Não podemos mais acreditar que criando autarquias e estruturas burocráticas auxiliaremos o desenvolvimento. Ou que o desenvolvimento só pode existir em unidades administrativas pequenas. Isso não é verdade.

Se as populações mais afastadas de Belém se sentem abandonadas, devem fazer o governo de Belém mudar sua atuação, pois dividir o Estado terá como única consequência fazer com que passem a se sentir abandonados pela nova capital.

Mas, infelizmente, parece que vamos redesenhar nosso mapa e repetir o mesmo erro que cometemos desde 1500, criamos um País/Estado, distribuímos cargos e funções, os messias empregam suas famílias, as autarquias não se sustentam pois não há escala sequer para uma organização tributária eficiênte, daí sugam-se recursos do governo central (o bom rei do bolso sem fundo) e só depois nos preocupamos em pôr um povo dentro dele, ou não.

Anúncios
Esse post foi publicado em Afins, Política. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Vão dividir o Pará

  1. jonatas costa disse:

    acredito que a divisão não é a melhor alternativa para que as outras regiões se desenvolva,o governo deveria mudar sua postura e dar mais atenção as áreas mais distantes.

  2. paulo soares disse:

    Penso da mesma forma.

  3. Henrique Capuzzo disse:

    Piorar é que não vai, pois é impossível ficar pior do que já está.

    • paulo soares disse:

      Sempre se pode escavar um pouco mais o poço, fazendo com o fundo do poço fique um pouquinho mais fundo.

      A realização de infraestrutura e mudanças gerenciais poderiam melhorar a gestão do Estado. A divisão vai apenas multiplicar por três os problemas.

  4. vinicius disse:

    Senhores deputados e senadores não se esqueção quen manda no pais eo povô entam pense duas veses antes de querer dividi o pará pois nós somos os patrões de voçes…jonfrank

  5. edivanilson da silva disse:

    eu do o maio apoio para a divisao do para!pior nao da para ficar!talvez assim melhore!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s